segunda-feira, janeiro 14, 2008

O Anti-Social

Gentes,

Depois da invasão de que foi vítima meu blog, consegui retomar o controle. Família doida, né mesmo? Graças a Deus! Aliás, essa retomada de controle deu-se após cinco dias sem internet, após um raio ter acabado com minha antena de recepção da internet via-rádio.

Obrigado a todos os que participaram de meu aniversário. Fiquei bem contente. Nessa confusão de início de ano e aniversário, em geral saio perdendo. O pessoal fica todo se desejando "Feliz ano novo", e o velho, aqui, fica meio esquecido. Menos pela Nina e pelo meu pessoalzinho direto. Esses não se esquecem.

A bem da verdade, até que fiquei muito feliz e emocionado com a invasão do meu blog pela Lu e pela família toda.

Agora, deixem contar uma historinha ocorrida há vinte anos, março de 1988, no aniversário da Nina.

Nunca fomos de fazer grandes festas nos aniversários meu e dela. Reservávamos as comemorações maiores para as crianças. Em geral, nossos aniversários resumiam-se a almoços com os parentes e amigos muito chegados. Pouca gente.

Mas, em 1988, a data era mais significativa, mais marcante: 40 anos. Ali por fevereiro, a Nina veio com a idéia: "Vamos fazer uma festa bem grande?".

Eu dei o contra. Nada de festas. A grana estava muito curta (e quando não esteve?), e outras desculpas. Ela insistia e eu dava o contra.

Até que dei o motivo final: "Eu sou anti-social!"

Isso acabou com ela. Fechou a cara por uma semana, até se conformar com a idéia, e não falou mais em festa.

Chegamos ao 6 de março. Nesse dia, diversos amigos telefonaram dando parabéns. E ficou nisso até às 5 da tarde, quando ligou o Yor (querido e saudoso amigo)., nos convidando para sairmos, à noite, para jantar e comemorar o aniversário. Bom, eu não seria tão anti-social assim a ponto de recusar o jantar em homenagem a ela.

Às oito em ponto, já estávamos esperando na portaria do prédio, chegam o Yor e a Zezé e saimos os quatro. A conversa estava muito animada e o Yor ficou rodando, sem decidirmos o restaurante, até oito e meia. Nessa altura, estávamos perto de casa, novamente, quando me dei conta de que havia esquecido todos os documentos, dinheiro, cartões de crédito... a cabeça, enfim! Noite ainda criança, voltamos para que eu pegasse os documentos. O Adriano e a Lu estavam em casa e o Yor e a Zezé quiseram subir para vê-los. Subimos os quatro.

Naturalmente, como anti-social, não abri a porta. Deixei que a Nina pegasse a chave dela, na bolsa, e a abrisse. O apartamento estava às escuras e ela precisou acender a luz. Nessa hora, umas quarenta pessoas, entre parentes e amigos, dentro do apartamento, gritou "Surpresa!" E, assim, dava-se início à tão sonhada festa dos 40 anos da Nina.

Gentes, vocês não imaginam o que foi manter toda a festa em segredo, por todo aquele tempo. Doces e salgados, mais todas as bebidas, guardados em casas de parentes e de amigos. Até a encenação do jantar a quatro, mais o "esquecimento" dos documentos, era tudo planejado. E deu tudo certinho. A meia hora em que estivemos fora foi o suficiente para que chegassem os convidados, os "comes e bebes", e se organizassem copos, taças, pratos, talheres, etc.

Foi difícil ficar uma semana "de mal" com ela. Mas, a felicidade que a festa lhe causou valeu o sacrifício.

E é por essas e outras que a gente se entende sempre e "se adora".

Bom, no próximo 6 de março, estarão se completando vinte anos do quadragésimo aniversário e da festa surpresa.

Semana passada, ela me disse:

"Em março, aproveitando que completo 60 anos e que nos mudamos para o sítio, podíamos organizar uma festa com todos os nossos amigos".

Na hora, respondi:

"Não! Eu sou anti-social!"

Ela deu uma gargalhada e me abraçou. Desta vez a desculpa "não colou" e já começamos a pensar nos detalhes da festa.


COMENTANDO UM BLOG

Aí ao lado, além dos blogs da família, existem links para blogs que eu gosto. São blogs de pessoas com as quais me identifico na forma de pensar e de escrever, além dos blogs de músicas que "me tocam". Enfim, blogs que eu recomendo. Existem mais uns três ou quatro que incluirei (quando minha filha, a Lu do Eeeepa, aquela que invadiu meu blog no dia primeiro de janeiro, se dispuser a me prestar esse serviço de inclusão!). Apesar dessa relação de blogs recomendados, vez ou outra tenho feito comentários mais específicos de recomendação de algum blog. Assim, já falei dos blogs da Bisavó Blogueira (a querida Maith), da Jack, da Alê, do Marco... A partir de agora, quero passar a citar um blog a cada vez que eu postar uma mensagem. A ordem é absolutamente aleatória e não significa que eu goste mais de um que de outro. São todos ótimos.

Hoje, a recomendação vai para o blog Your-Soul ( http://www.your-soul.com/ ). É um blog que narra fatos do dia-a-dia de uma família, escrito com muita delicadeza, ternura, sentimento. Vale a pena ler. Especialmente aos meus amigos da lista de discussão NESO, que sei que andam por aqui e que gostam de ler histórias familiares, não deixem de entrar. Basta clicarem no link "Your-Soul", na minha lista de "Blogs Amigos". E, depois, deixem um comentário para minha amiga Soul. Não façam como no meu blog, que vocês entram, lêem... e vão comentar lá na lista NESO (KKKKKKKKK! Vocês são doidos mas gosto muito de vocês!). Mas, não só o pessoal da NESO. Fica a recomendação do blog Your-Soul para todos os amigos que fequentam o meu Blog do JF.


E O LIVRO?

Gentes! Estão me cobrando um livro. Dizem para eu reunir todos os meus "causos" e publicar.

Mas nem pensar!!!

Vocês já ouviram dizer que um homem, para ter sua vida completa, precisa ter um filho, plantar uma árvore e escrever um livro? Pois é! Filhos, tenho dois (e agora duas netas!). Árvores, já plantei algumas centenas. Se eu escrevo um livro, completa-se meu ciclo e já está na hora de eu ir para o céu prestar minhas contas. Nada disso! Ainda é cedo para tanto. O projeto "livro" fica adiado para muito e muito tempo! Eu, hein!

JF

10 comentários:

Anônimo disse...

Pois eu insisto no livro, como a gente pode ficar sem tudo isto juntinho para ler quando um raio que o parta acontecer?
Não chame de livro, risos, faça uma mentirinha e chame de gibi risos
Adorei, mas uma vez
um super abraço
RIta

Anônimo disse...

Que pena que não pude abraçá-lo, mesmo virtualmente no dia 1! Mas aqui vai o meu atrasado abraço de aniversário com votos de muitos e muitos outros.
Achei excelente sua ideia de comentar os blogs que visita e gosta. É uma maneira de divulgar aqueles que são bons dentro da nossa linha, pois há muitos que talvez tenham até algum valor, mas não são dos nossos.
Que 2008 continue tão bom como começou para nós todos!
Um abraço!
Maith

visite meus blogs
http://www.cuidadoestaoteespiando.blogger.com.br
http://www.bisavo.blogger.com.br

Luciana Farias disse...

...só faltou você contar que, quando falou que era anti-social, foi tão convincente, mas TÃÃÃÃÃO convincente, que todo mundo ficou em dúvida se era pra fazer a festa ou não. E aí, uns dois dias depois, você chegou e falou: "Pô, vocês não vão ligar pro pessoal??? a sua mãe está uma arara!!!" UAHAHAHAHAHA,,,

Anônimo disse...

Tudo bem, respeito sua opinião. Essa de plantar uma árvore, pelo visto você tem um crédito por ter plantado centenas, ter um filho, outro crédito e escrever um livro. Bom, este você está devendo. Não é um livro que vai tirar você do nosso convívio. Além do mais eu espero há anos a publicação de seus contos. Vamos fazer o seguinte: no próximo aniversário da Nina você a presenteia? Assim fará feliz a ela e a sua legião de fãs.
Abração,
Vera Coelho

Paulo disse...

Desde que a Lu contou lá no blog dela, toda orgulhosa, que o paizão estava com um blog, eu passo por aqui de vez em quando pra dar uma espiada. E tenho que me incluir entre aqueles que lêem e não deixam comentários. Mea culpa...
Com relação ao livro, tenho que fazer coro com a maioria.
Não sei de onde você tirou essa idéia de que estaria completando o seu ciclo. A idéia é que um homem não deveria passar pela vida sem cumprir aquelas três etapas, mas onde está escrito que depois de cumpri-las deveria partir para o andar de cima? Pelo contrário, depois vem a fase de curtir a realização da obra! (E, quiçá, preparar o "Vol. 2").
Se o seu argumento era só esse, pode arregaçar as mangas...

Grande abraço,
Paulo (do Playground).

Blog do Beagle disse...

Que delicia de texto! Que festa alegre vc planejou. Voltarei para aocmpanhar seus causos e histórias. Ah ... já se passaram alguns dias, mas acho que vale: fique feliz com sua idade recem inaugurada, viu??? Bjkª. Elza

Itiro disse...

Essa é a vantagem de ser um grande ator! Que coisa mais linda deve ter sido a festa surpresa!
Quanto ao livro, pelo que li nos comentários, está havendo uma unanimidade óbvia ululante, como diria o grande Nelson. Estamos todos esperando pelo primeiro!
Abraços,
do verdadeiro "anti-social"!

Marco disse...

Rá! Rá! Rá!...
Eu sempre saio desse blog sorrindo.
Caro J.F. quisra todos os anti-sociais fossem assim, tivessem o seu senso de humor!
Obrigado pelas palavras elogiosas. Fico feliz quando vejo pessoas se identificando com meus textos.
Depois conta pra gente como foi a "festa surpresa"...
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Jack disse...

Então não escreve o livro não... deixa a gente continuar vindo aqui... hehe
Bom domingo!
Bjocks

ฑคh disse...

Olá, tbm axo q família eh tudo...
e concerteza eh Deus q os coloca em nossa vida!
Tbm gostei muito de seu blog... colokei na minha lista!
bjin...