sexta-feira, abril 24, 2009

Receita para um casamento perfeito e duradouro

Pessoal,

As duas mensagens abaixo foram publicados na lista de discussão NESO (do Yahoo).


RECEITA PARA UM CASAMENTO PERFEITO E DURADOURO

Candido,

Obrigado pelo elogio. Mas o nosso casamento não podia dar errado. Existem três premissas que nós seguimos direitinho:

1-Certesa do par perfeito

Antes de namorar a Nina, namorei uma amiga dela por quatro meses. Ou melhor: um período de uns 30 dias, dois meses e meio sem um olhar na cara do outro, 15 dias de "volta". A Nina fazia o papel da "intermediária confidente", que tentava arrumar a situação entre os dois (será que a malandrona tentava mesmo?). Até que poderia dar certo, pois nós éramos iguais: os dois capricornianos! Mas, era a única coisa que combinava. Se tivéssemos prosseguido, hoje, um estaria na cadeia e o outro no cemitério.

Com a Nina, não! Somos totalmente diferentes um do outro. Eu, como todos sabem, sou introspectivo, caladão. Já, a Nina é totalmente expansiva, muito falante. E isso é uma certesa de que o casamento dará certo. Veja bem: a característica do introspectivo (eu) é não falar, só ouvir. Já o extrovertido (ela): não ouve, só fala. É isso! Fica impossível uma briga, quando um só fala e o outro só ouve!

2-Casamento na Hora Certa

As pessoas devem perceber o exato momento de se casarem. Se o casamento acontecer em momento errado, estará fadado ao insucesso.

Na primeira vez que eu fui à casa da Nina, convidaram-me para lanchar. Eu, lá, afundado em uma cadeira, sendo atentamente observado e devidamente avaliado pelo avo dela, pelos pais dela, pelos 37 primos dela, pelos 28 tios dela. Meu cunhado, como era meu amigo e não queria cair na gargalhada, sumiu e não lanchou em casa. Bom, com toda aquela gente olhando para a minha cara e sorrindo, querendo mostrar benevolência, a mãe dela me pergunta:

"Gosta de chá?"

Suspense! Eu, lá em baixo, afundado na cadeira. A platéia sem respirar, esperando que eu, afinal, falasse alguma coisa e eles pudessem perceber minha vóz. A sogrona, lá no alto, com um baita bule fumegante na mão, uns 30 cm acima da minha cabeça. Já pensaou? Eu vou falar que não gosto? Qualquer descuido meu e ela vira aquele bule de chá fervente prá cima de mim. Não na cabeça, mas um pouco na frente, para que caia exatamente "lá", deixando-me "desprovido" para sempre.

"Com bastante açucar, por favor!"

Toda a assistência sorriu satisfeita. Eu fora aprovado! Resignado, tomei três chícaras cheinhas de chá. Com bastante açucar, diga-se de passagem!

Foi minha condenação! Durante todo tempo de namoro e noivado, todo sábado, domingo e feriado, e às vezes quando eu ia lá durante a semana, invariavelmente, lá vinha o indefectível chá! Namorado (e noivo) sofre!

Depois de quatro anos e meio, um dia o pai dela me aparece na frente com um calhamaço de folhas de papel.

"Sabe o que é isso?"

"A folha corrida criminal do Fernandinho Beira-Mar?" Tentei fazer uma piada, mas ele não riu.

"Não! É a conta dos lanches que você já tomou aqui em casa. Casa ou paga."

Nem olhei os detalhes. "Casa ou paga"? Fui direto ao total. Barbaridade! Só não fiquei certo foi quanto à quantidade de lanches. Bem que ele poderia ter lançado alguns a mais. De qualquer forma, lembrei de minha velha e sábia avó italiana e seus "ditados". Coitada, ela não sabia falar corretamente o português e eu não conseguia entender direito o que ela dizia. Até hoje não entendi o sentido dessa frase. Talvez por ser italiano arcaico. Vou escrever exatamente o que eu ouvia. Talvez vocês entendam e possam esclarecer-me. Mas, numa situação dessas, ela costumava, sempre, dizer o seguinte "ditado"

"Dé lus mális, u minori!"

Entenderam? Eu também não! Porém, precisava decidir-me. Ou seja era o momento exato para o casamento. Casei-me! Era o que tinha que fazer, diante de conta tão alta (e isso porque ele, generosamente, não lançou os 10% do garçom).

3-Garantia de continuidade

Dizem que alguns casamentos são para toda a vida. O meu é! Isso porque, quando casei, pedi ao sogrão um documento de quitação da dívida. Muito vivo, ele respondeu:

"Nada disso! É minha garantia de que você não irá devolvê-la." E guardou o calhamaço. Compreendi direitinho o recado: "se não quiser pagar a conta, terá que ficar casado com ela a vida toda. É sem direito de devolução!"

Entendeu? É isso! A receita corretinha para um casamento perfeito, até que a morte os separe.

Abração,
JF

(NESO - 22/12/2008)

- - - - - - -


CONTANDO UMA HISTORINHA

Meus queridos.

Andei sumida por causa do movimento de final de ano, pois quero ver se consigo ficar duas semanas sem trabalhar, somente curtindo a família.

Gostaria de contar uma historinha, aproveitando para matar a curiosidade da Sonalli:

Duas crianças que não se conheciam.

Através de amigos do irmão da menina, eles se conheceram e, durante dois anos, formaram um grupo de amigos, onde o rapaz tímido (na época um "mancebo" de 20 anos) só podia sentir amizade, por uma "menininha" falante e barulhenta de 14 anos.

Final do ano de 1964. Muitos bailes de formatura, "obrigatórios" naquela época. Os amigos, como sempre, não perdiam nenhum deles. Dançavam bastante, em geral, com pessoas conhecidas, mas não da mesma turma, embora estivessem todos sempre perto uns dos outros. Nesta turma de amigos já havia dois casais de namorados e, um novo par se formou.

Naquele fim-de-semana de 12 e 13 de dezembro (sábado e domingo) haviam sido convidados para dois bailes. Piores do que "arroz-de-festa", nenhum deles faltou aos dois.

Segunda-feira, 14 de dezembro de 1968. À noitinha toca o telefone, uma "moleca" de 16 anos, disputa uma corrida com o irmão para poder chegar primeiro. Ao atender, o coração dispara ao ouvir uma voz tímida, mas já tão querida perguntar:

- Você quer namorar comigo ?

A resposta foi rápida e direta : - SE QUERO !!!

E, assim, começou o namoro, que hoje completa 44 anos.

O noivado foi em 06 de janeiro de 1968 e o casamento em 16 de maio de 1969. Foram datas inesquecíveis e emocionantes , que só se tornaram possíveis, porque apesar de ter pouca idade, tive a felicidade de perceber que o Zeca seria o amor da minha vida.

Nestes 44 anos juntos, o namoro continua cada vez mais firme, agora, com a cumplicidade dos filhos, genro, nora e netas.

É maravilhoso podermos envelhecer juntos, mantendo nossos corações sempre jovens e apaixonados. Até hoje, a minha resposta é sempre : SE QUERO!

Beijos

Nina

(NESO - 14/12/2008)

- - - - - - -

Esses são os dois lados da história. Eu ainda completaria minha receita dizendo que é a "receita do casamento eterno". Por que?

Já pensaram no dia em que eu passar "para o lado de lá"?

Vou chegar ao balcão da Recepção:

"Bom dia, São Pedro. Posso ficar por aqui?"

"Claro, meu filho. Sua reserva está feita, mas tem alguém querendo falar com você."

Olho para o fundo da sala e vejo ele lá. De camisolão branco, um par de asas nas costas, uma auréola de luz iluminando sua calva, e um calhamaço de papéis já amarelados pelo tempo nas mãos. Isso mesmo! O sogrão! Ele nem precisa falar, pois o sorrisinho maroto já o diz:

"Continua casado ou paga a conta!"

E, assim, o casamento permanecerá eterno.

- - - - - - -

Gentes, no próximo dia 16 de maio, a Nina e eu estaremos completando 40 anos de um casamento muito feliz. Ela só mudou a cor dos cabelos: assumiu os cabelos brancos. No mais, continua igualzinha. Sempre falante, sempre alegre, sempre carinhosa, sempre companheira.

Se um dia, lá na frente, me for dada a oportunidade de voltar à Terra para uma segunda vida, a primeira coisa que eu farei será correr lá para a Vila Mariana para pedi-la em namoro, antes que algum espertinho a encontre primeiro. E, assim, mais uma vez viver tudo de novo, mas inteiramente igual, sem tirar nem por, o nosso amor.

Abração,

JF




18 comentários:

Nina Maria disse...

Meu querido, pode ter certeza que também estarei esperando para, novamente, responder "se quero!".
Você é, e sempre será o grande amor da minha vida!
Beijos

maray disse...

é tõ bom quando dá certo, né? Também me casei com meu primeiro namorado, há 38 anos atrás. E continuaria casando, sempre com o mesmo, sem risco de cansar...Que vocês (nós todos, por que não?) sejam sempre muito felizes!

DILERMArtins disse...

Mas bah, J.F.
Tb sou de capricórnio, tb estou casado há muito tempo, 37 anos, tb tive um avô gringo que tinha um ditado: "Teima, mas não aposta".
Mas ficamos por ai, sem mais tb...Verinha, minha namora, é a quieta, aqui o falador sou eu, e pior, falo alto com a boca e as mãos! rsrsrs.
Não preciso dizer que adorei seu texto e o da Dona Nina tb!
Parabéns por tudo!

Lunna Montez'zinny disse...

Eu juro que não invejo, juro mesmo. Muito pelo contrário: fico super feliz por vocês dois. São um casal maravilhoso e duas almas irmãs, com toda certeza. Beijos nos dois...

itiro disse...

Que beleza de "depoimentos"! No meu caso, também somos quase que diametralmente opostos. Ao contrário de vcs, estamos somente 35 anos juntos...
Um grande abraço!

Magui disse...

Parabéns pelo niver do casamento.Realmente é muito bom poder estar com a pessoa amada tanto tempo.Alguns não tem essa sorte porque a morte leva a melhor( ou o melhor)

Anônimo disse...

Mas que casalzinho mais desinibido! Onde já se viu uma declaração de amor desse tamanho jogada na net para quem quiser tomsr onhecimento? riso...
Voces fazem em publico o que usualmente os casais fazem na maior intimidade, falar de amor depois de muito tempo de casamento.
Na verdade é pouco comum uma união tão perfeita e feliz.
Vocês tem certeza de que não são um par de Anjos mandados a Terra por Deus para ensinar as pessoas a amar?
Se não são, parecem!
Que Deus os abençoe sempre e que sua união seja eterna, nesta e em todas as possíveis futuras encarnações.
Paz e Amor, Sempre!
Maith

Blog do Beagle disse...

Casar ... dos males, o menor! Para toda vida? Tomara. Vivem bem? Maravilha e que esse bem querer só aumente com o passar dos tempos. Adorei a história da conta kakakaka foi muito boa, mesmo. Bjkª. Elza

Maia Oliveira disse...

Dé lus mális, u minori. aposto que não foi um mal casar! que saudade estava de ler seu blog! desejo-vos muitas mais alegrias e parabéns por tão grande amor e companherismo! é tão bom ver exemplos bons numa sociedade tão destruida! Felicidade a vocês, muitas muitas. grande beijo

Marco disse...

Rá! Rá! Rá! Rá!... Ah, meu amigo de infância... Você é uma figuraça! Mas antes, quero parabenizar a você a a Nina, que eu tive o prazer, orgulho e felicidade de conhecer pessoalmente, em cores e ao vivo, juntamente com toda Família Jacaré. O amor de vocês transborda e envolve a quem os conhece. A história de vocês é linda, embora o meu caro amigo a tenha transformado num caso hilariante (enxuguei os olhos de tanto rir!). Aliás e a propósito: quatro ano de namoro/noivado e você nunca compareceu com um pãozinho, um leitinho, uma caixinha de chá?????? Ah, mas o seu sogro deveria ter cobrado mesmo depois de casados! O cara prepara a filha com amor e carinho e você ainda vai lá e fila o lanche do cara sem se coçar, sem comparecer com algum? Isso é que é um supre-sogro! Com certeza ele está no céu! E ainda vai te pedir indenização pelos litros e litros de chá, com quilos e quilos de açúcar! Rá! Rá! Rá!...
Abraços aos pombinhos. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Claudinha ੴ disse...

Queridos JF e Nina, meus parabéns! Meus pais neste 18 de maio completam 46 anos juntos e eu até postei a música com que ele a conquistou. Adorei a história e o tempero com que foi narrada! Vocês são especiais mesmo! Felicidades hoje e sempre! Beijos!

* Quero tirar uma foto e mandar pra vocês, minha orquídea vulgarmente chamada de "Tamanquinho" resolveu dar trocentas flores, como nunca aconteceu. Está linda!
Envio assim que tirar!
Beijos!
Feliz dia das mães pra Nina e Lu e todas as mamães da família!

Maria Helena disse...

JF
Estive afastada por motivos de saúde, fui operada, mas já estou recuperada, graças a Deus.
Que amor lindo, imortal.Parabéns, aos eternos namorados.
Faço parte desse time (42 anos de casada), que tem histórias para contar de namoro, noivado e casamento, carregados de emoção.
Abração e felicidades ao casal apaixonado.

Blog do Beagle disse...

JF vc tem outro blog? Tem outro JF postando por aí e o encontrei entre os inscritos da tertulia Virtual de 14 de maio. Bj. Elza

Marco disse...

Amigo J.F.
Tem um presente para você no Antigas ternuras...
Quando quiser... é só aparecer.
carpe diem.

Magui disse...

É uma benção de Deus poder conviver com a pessoa amada tanto tempo.Parabéns!

Mari disse...

Oi,amigo
Que coisa mais linda!!!E tem gente que não acredita em casamento..Eu acredito e também estou muito feliz com o meu.Parabéns pra vc e pra Nina.

abração

maith disse...

Amigo!
Andei meio afastada dos blogs, por motivos particulares, mas estou de volta e querendo resgatar os amigos que se afastaram
Como sempre deliciei-me com o relato do que já conhecia a muito tempo, a invejavel felicidade de meus amigos (reais).
Estou andando de blog em blog, me desculpando pela sumida e convidando para retornar as visitas.
E o São Paulo, heim? Será que a saida do Murici vai melhorar ou piorar as coisas. Sem querer ser pessimista acho que o "Timão"(só no nome) vai soltar os rojões. ( mesmo que perca eles soltam pois já compraram mesmo e sempre podia ser pior)
Vê se torce com força para nosso time não amarelar!
Beijos para o casal nota 10!

Luma disse...

Os dois são lindos e maravilhosos! Além do cumplicidade, percebe-se os mesmos princípios e valores, tão importantes para que haja respeito e admiração dentro do relacionamento. E esse amor frutificou, a família é toda linda! Parabéns!! Beijus