terça-feira, novembro 10, 2009

A vida prega cada peça!!...

Gentes,

E como a vida prega peças!

Aqui no escritório, existem algumas lagartixas bastante arredias. Sempre se escondem, se aparece alguém. Uma delas, entretanto, a maior e mais gorda, parece que já se acostumou comigo e fica rodando por aqui, enquanto eu permaneço no computador. Deve ter percebido que sou um protetor delas!

Esta noite passada, ela estava perto da janela, bem na minha frente. Pois não é que aparece uma borboletinha, na janela? Sou sincero com vocês! Acho que era uma borboletinha bem apetitosa, pelo menos para os padrões lagartixais. Se eu fosse uma lagartixa, com certeza gostaria de comer aquela mariposinha.

Não deu outra! A lagartixa percebeu a borboleta e iniciou as manobras de aproximação. Dava umas corridinhas de uns vinte centímetros e parava, estática. E a borboleta, no mesmo lugar. A lagartixa dava outra corridinha e parava. E a borboleta, lá, firmona, como se a coisa toda não fosse com ela. Até que a lagartixa chegou bem perto.

Depois de avaliar bem a situação, a lagartixa deu um bote. Falhou! Deu ums segundo bote. E a borboleta no mesmo lugar.

Falhar duas vezes e, ainda, perceber que a borboletinha não estava nem aí? Era demais! A lagartixa reviu toda a situação. Percebeu que seria impossível pegar a borboleta que estava do lado de fora, do outro lado do vidro, e foi-se embora procurar outro inseto.

Uma pena! Era uma caça tão fácil e apetitosa, apesar de ser suficientemente viva para saber que estava inatingível, atrás do vidro protetor.

Abração,
JF

10 comentários:

Maria Helena disse...

JF
A beleza está no prazer da observação singela da natureza, mil para vc.
Abração

maray disse...

aqui em casa também está cheio de lagartixas. Não gosto nem desgosto. Elas sempre me acompanharam, fosse qual casa eu mudasse. Acho que vinham juntas no caminhão da mudança...O que não gosto é quando encontro pedaços de lagartixa, tipo um rabo ou uma cabeça, desmembrados. Meio sinistro, isso.

Claudinha ੴ disse...

Olá JF!
Adorei seu momento largatixal. Aqui em casa também eu as observo e já vi algumas borboletas serem traçadas pelas lagartixas mineiras.
Tentei mandar umas fotos de minhas orquídeas em agosto, mas descobri que não tenho seu e-mail. Meu caro, neste ano, elas simplesmente ficaram maravilhosas. Todas vindas da primeira e única que ganhei a vinte anos atrás quando me casei. Agora, estou pensando em cultivar outras espécies, tomei gosto.
Vou lhe importunar com perguntas de vez em quando, posso?
Beijo procê e pra toda família!

J.F. disse...

Oi, Claudinha orquidófila.

Que bom que você foi picada pelo virus da orquidofilia. Este ano estive em três expos aí de MG: Poços de Caldas (agosto), São Sebastião do Paraiso (outubro) e Caxambu (semana passada). Minha amiga Gleusa, de BH, vive me convidando para suas exposições (ela já esteve aqui no sítio), mas é muito longe para levar plantas no automóvel. Mas, qualquer hora, a Nina e eu pegamos avião e vamos lá. Afinal, já fomos até Fortaleza. O ambiente é muito gostoso. A cada exposição reencontramos amigos ótimos e fazemos novos amigos. Vale a pena.

Quanto a me perguntar e enviar fotos, fique à vontade.

Caso você se interesse, tenho uma lista de discussão de orquídeas na Internet. Está com 2.300 associados, da Argentina aos USA, de Portugal, e do Brasil inteiro. Muitas dicas, muitas fotos. O único problema é que está com muitas mensagens diárias: uma média de 80 e-mails. Mesmo assim, vale a pena. Se você quiser, para ingressar acesse:

orquideas-subscribe@yahoogrupos.com.br

Beijão,
JF

DILERMArtins disse...

Mas bah, JF.
Já estava com saudades de suas postagens...Meses de ausência hein!
Muito boa a história da lagartixa X mariposa, aqui em casa(moro numa chácara) também tem muitos bichos, lagartixas nunca vi, nosso clima é muito frio para elas, mas canário da terra, por exemplo, tem, ontem publiquei umas fotos dum canário invasor(acho que pertence ao MST), pois estava invadindo o ninho de um João de Barro.
Abração.

Sonhar é Preciso disse...

O meu pai adorava observar as lagartixas e nao deixava ninguem assusta-las, espanta-las ou mata-las.
Um noite ele acordou contando um sonho que ate hj me lembro. Ele disse que tinha morrido(no sonho) e que sua alma se encarnou num dessas pequenas criaturas. Enfim...no sonho ele estava deitado na mesa de operaçao e os médicos e enfermeiras estavam tentando ressuscita-lo depois de uma cirurgia mal sucedida.Não conseguiram e meu pai que agora era uma lagartixa ficou de camarote observando todo o desespero. Acho que essa foi uma forma de conscientizar os filhos a nao matarem as penas criaturas.
O meu velho era um poeta e contador de historias fantastico. Morreu de derrame aos 82 anos. Um dia ainda vou blogar sobre ele.
Ah...e agradeço tua visita la no Sonho Meu.
me

Maia Oliveira disse...

algumas largatixas são como algumas pessoas: desistem fácil das coisas.

Os homens imitam os animais!

Que saudade de vir aqui, de comentar!
Como é bom ler posts construtivos com autores que tiram do simples algo que ajuda tanto!

beijos
fica com Deus

maith disse...

Muito interessante! Eu acho que muitas vezes ficamos querendo atingir coisas impossiveis como a borboleta de seu texto e algum ser superior é bem capaz de caçoar de nós e ainda por cima escrever um texto usando-nos como inspiração. rsrs.
Gostaria que passasse pelo www.bisavo.blogger.com.br e me dissesse o que achou dos dois ultimos textos.
Boa noite!

Maria Helena disse...

JF
Saudades das suas histórias.
Abração.

Blog do Beagle disse...

Que deliciosa narrativa. Nem fiquei com medo ou repulsa da lagartixa! Bjkª. Elza