quinta-feira, maio 22, 2008

"FOI LONTRA"

Em 1970, quando meus pais compraram o sítio, a propriedade contava com dois empregados. Vou alterar os nomes, pois algumas das pessoas ainda podem estar por aí, embora há muitos anos não tenhamos mais notícias.

Um deles era o João. Caipira de 1,60m de altura, se tanto, casado com a Maria, uma caipirinha de rosto bem sofrido. Tinham três filhas e moravam no sítio.

O pintor Almeida Junior é autor de uma tela (1893), conservada na Pinacoteca Do Estado de São Paulo, com o título “Caipira picando fumo”. Tínhamos uma cópia da mesma feita pelo pintor Gino Bruno. Um dia, minha sobrinha, ainda bem pequena, ao ver o quadro na casa de meus pais, apontou com o dedinho e disse:

“Olha o João!”



Realmente, olhar para a tela de Almeida Junior, mesmo na cópia de Gino Bruno, era ver o João. Passava o dia enrolando seu cigarrinho de palha, sempre preocupado com as horas, pois precisava parar o trabalho para descansar.

O outro empregado era o Lusiânio. Filho de italianos, aloirado e de olhos azuis, com seu metro e oitenta, seria alvo do interesse das mulheres da cidade, não fosse o fato de passar o fim de semana inteiro embriagado e cambaleando pelas ruas.

Naquele início, só vínhamos para cá nos fins de semana. Nos demais dias, os empregados tomavam conta de tudo. No lago havia uma quantidade enorme de patos e marrecos, xodó do antigo dono da propriedade, morador da cidade e que, todos os dias, estava por ali cuidando de tudo.

Pois bastou os patos e marrecos mudarem de dono para começarem a desaparecer misteriosamente. A cada semana eram dois ou três bichinhos que sumiam. O João foi logo explicando:

“É lontra! É lontra que está caçando os patos e acabando com eles.”

O interessante é que nunca encontramos vestígios da lontra e nem vestígios dos patos que, pelo jeito, eram caçados implacavelmente e sem nenhuma luta, pois nenhuma pena sobrava por ali. E foi assim que, em pouco tempo, acabaram-se patos e marrecos. Meus pais, que andavam meio desconfiados, resolveram recolocar os penosos nadando no lago. Só que, ao invés de patos e marrecos, colocaram um bando de gansos. Ora, o ganso não é bicho bobo. Pelo contrário. São bravos e avançam sobre qualquer agressor, mesmo que seja humano. Foi a solução! Nunca mais a “lontra” atacou. Evidentemente, “lontra” era uma história mal contada.

Bom, mas o João, que tanto gostaria de ter um menino, já estava conformado com sua escadinha formada por três menininhas, acabocladas e miúdas como ele próprio e a mulher. Um dia, a Maria engravidou pela quarta vez. O conformado João esperava pela quarta menininha até que, passado o tempo regulamentar, nasceu um menino. Era felicidade demais. Na quarta tentativa acabara dando certo.

Minha mãe foi visitar a mãe e o filho. Voltou desconfiada. O menino, aliás enorme, era clarinho demais. O tempo foi passando, e, cada vez mais, todos achavam estranho aquele meninão loiro e de olhos azuis. Todos, menos o pai orgulhoso.

Por essa época, Lusiânio bebia cada vez mais e meu pai acabou por dispensá-lo. Soubemos, tempos depois, que havia morrido.

Quanto ao filho do João e da Maria, foi desenvolvendo-se e, depois de certo tempo, começou a andar. Já era maior que a irmã mais nova e logo passaria a segunda irmã. O pai, cada vez mais satisfeito e cego de amor paternal, estava muito orgulhoso. Porém, quanto mais crescia o menino, coincidência ou não, mais ele ficava parecido com Luziânio.

Para mim, a explicação seria a mesma:

“Foi lontra!”

TAL MÃE, TAL FILHA!

Pessoal, vocês já devem ter reparado que eu inclui nos meus links um novo Blog : Crônicas da menina Ana Júlia ( http://cronicasdemenina.blogspot.com/ ). É um blog que está se iniciando, mas escrito com muita sensibilidade e inspiração por uma menininha que tem muito jeito para escrever, a Ana Júlia. Por sinal, a Ana Júlia tem por quem puxar, já que é filha de blogueira muito querida de todos nós, a Claudinha (Transmimentos de Pensações). Não deixem de visitar o blog e postar uma mensagem para a Ana Júlia.

OITO DESEJOS

Eddie Wood, o irreverente e único cão beagle dono de blog, atendendo sugestão do Marco (Antigas Ternuras), já postou a relação de seus oito desejos antes de partir desta terra. Quais seriam os grandes desejos de um cão? É só dar uma conferida lá no seu blog: http://www.edbeagle.blogspot.com/

Abração a todos,
JF


10 comentários:

Sonho Meu disse...

Oi,
Obrigada pela visita e pelo incentivo sobre o aprender ou nao aprender um insttrumento musical.
Com certeza vou fazer. Tenho uma vontade tao grande de tocar algo, que é maior que minha vida.E vou fazer com certeza.
seu blog é muito bonito...uma viagem no tempo.
bjs,
me

Blog do Beagle disse...

Adoro essas histórias de caipiras e capiaus. Adorei a postagem inteira. Estou pensando em abrir um blog para o Baltazar e assim o Ed não ficará sozinho na blogosfera ... Bjkª. Elza

Claudinha disse...

Oi JF!
Ah, esta história de Lontras é fogo mesmo! Nós tínhamos um caseiro que nunca conseguia pegar o cachorro-do-mato que matava e comia as galinhas e patos. Até que ele foi flagrado em plena matança e teve que ir embora...
Muito obrigada pelo carinho comigo e com minha caçula. Espero que ela continue a escrever...
Olha, ela fez o blog do Lippi. mas ainda não me deu o link, logo eu aviso o Ed. E vou lá ler os desejos dele, os meus não foram muito fáceis não e eu deixei lá nos comentários do Marco mesmo.
Beijão procês!

Maria Helena disse...

Foi lontra é demais, adorei.
Tem pai que é cego, nééé´??????
Tolinho!!!!heheheheh
Abraços

Tina disse...

Oi J.F.!

Voltei para te ler, e gostei muito.

Essas histórias são ímpares...

beijo e boa semana,

Anônimo disse...

Pois eu aqui, caída da cama 4 e 30 estou me divertindo muito, nem me arrependo da caída da cama...
Ainda vou ver um livro
abraços
Rita

Nina Maria disse...

Meu querido!
Todas estas histórias que passamos juntos merecem um livro. O impressionante é que quanto mais conversamos, mais relembramos "causos" aqui do sítio.
Parece que com a nossa mudança para cá, eles ficaram mais "vivos". O bom é que vemos sempre nossa família rir junta!
Beijão, com saudade, pois hoje você está em São Paulo.
Nina (Franjinha)

Lino disse...

Parece, JF, que alguém andou pulando a cerca e, certamente, não foi a lontra, não.

maith disse...

hshshshs!muito boas as suas histórias. Se o João desejava tanto um menino e o conseguiu, dexele ser feliz!
Vou visitar os seus amigos que agora são meus também e ver se os desejos do seu filhocão são realizaveis.
Um grande abraço

Marco disse...

É... Lontra é um bicho danado, mesmo! Ataca patos indefesos e mães "ingênuas". Mas, como se diz no interior, "pai é o que cria!". Então tá. Vai dizer ao João que deu lontra no quintal dele...
Vou ver os desejos do Eddie. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.