quinta-feira, outubro 16, 2008

O CULTIVADOR




Vocês já tentaram cultivar pêssegos?

Não? Pois eu, sim!

Cultivar não é propriamente o termo, pois os pessegueiros já estavam plantados quando meus pais compraram o sítio. Mais, propriamente, é cuidar da safra. E, mesmo assim, depois que a planta já floriu e as frutas começaram a se desenvolver. Foi nesse ponto que eu comecei a “cultura de pêssegos”.

É necessário ensacá-los, um a um, quando atingem a metade de seu tamanho. É a partir daí que a fruta fica muito vulnerável aos insetos. Sem ensacar, as chances de "bichar" são de 90% ou mais!


Numa casa de produtos agrícolas, comprei os saquinhos de papel. Escolhi uma planta que seria a "cobaia". Como me recomendaram que deveria tirar metade das frutas, para as outras crescerem mais, assim fiz. Aí, comecei a ensacar as frutas restantes. Ou seja: pegava o saquinho e, com ele, envolvia a fruta que, embora pequena, já tinha tamanho mais que suficiente para ficar "vestida", a sem-vergonha! Evidentemente, amassava a boca do saquinho em volta do talo do jovem pêssego, para que essa sua roupa improvisada não saísse. Foi um trabalho rápido e fácil. Tão fácil que resolvi fazer a mesma coisa com outro pessegueiro.

Pois bem, de manhã, quando levantei e fui admirar o trabalho do dia anterior, encontrei o chão branquinho, forrado de saquinhos de papel branco, Durante a noite, deu um ventinho e deixou todos os pêssegos mais nus que Adão e Eva antes de comerem a maçã! Pesquisa daqui, pesquisa dali, fiquei sabendo que deveria ter amarrado a boca de cada saquinho, exatamente para que não fossem derrubados pelo vento.

Munido de linha e de mais saquinhos, lá fui eu refazer o ensacamento dos, até aquele momento, mini-pêssegos. Acontece, entretanto, que a gente só tem duas mãos, não é mesmo? Aí, você precisa ver que beleza, só com duas mãos colocar e ficar segurando o saquinho na posição certa e, ao mesmo tempo, amarrar a boca do dito cujo com um fio de linha, sem deixar cair no chão o carretel e a tesoura! Além disso, ficou a dúvida: pêssego respira? Será que, se a gente amarrar muito forte, os coitadinhos não ficarão sem ar, o que poderia levá-los à morte por asfixia? Por via das dúvidas, a amarração ficou folgada. Depois de um trabalho insano, lá ficaram os dois pessegueiros com sua devida paramentação. De longe, até pareciam duas árvores de natal com bolas brancas. Muito lindo!

Na manhã seguinte, até parecia que a gente estava lá no RS, mais precisamente em Gramado: o chão branquinho como se tivesse nevado. A amarração não deu certo! Mas, como sou teimoso, lá fui para a terceira rodada do "ensacamento dos pêssegos". Evidentemente, nessa altura, já pensava que o ideal teria sido a "derrubada" de pelo menos 7/8 (sete oitavos) das frutas verdes, o que facilitaria em muito o meu trabalho. Dessa vez, como já estava sem paciência para amarrar "direitinho", optei por uma forma diferente e prática de prender as vestimentas: usando grampeador de papel! Isso me facilitou muito, se bem que, algumas vezes, grampeava o saquinho e o talo do pêssego-mirim.

As chuvas, evidentemente, estragaram alguns saquinhos. Mas isso não era problema. Refazia o ensacamento danificado. Afinal, o que é um saquinho de papel a menos ou a mais, não é mesmo? E, assim, com o correr dos dias, os pêssegos-mirins foram crescendo, crescendo, e transformaram-se em pêssegos-guaçu, ou pêssegos grandes. Os bichos de frutas? Sei lá como, entraram do mesmo jeito e estragaram todos os pêssegos!

Mas, como sou teimoso, ainda mais que os pessegueiros, resolvi que, todos os anos, dalí para a frente, haveria de ter pêssegos no sítio. Grandes, bonitos, suculentos! E consegui!

Todos os anos, nesta época, eu vou ao mercado municipal e compro pêssegos! Grandes, bonitos, suculentos!

_ _ _ _ _


Nas fotos, a aparência da jabuticabeira, neste momento, minha plantação de "figo da índia", minha experiência com palmito-pupunha.

_ _ _ _ _


NOVIDADES NOS BLOGS

Pessoal, não deixem de ler o diálogo entre neta e avô, no ...EEEPA!!!, blog da Lu :

http://eeepa.blogspot.com/

E leiam, ainda, o protesto do Ed Wood, meu cão beagle, contra a utilização, pelos humanos, de termos pejorativos aos distintos dogs:

http://edbeagle.blogspot.com/

_ _ _ _ _


Abração,

JF



10 comentários:

Dilermartins disse...

Oi. J.F.
Estou aposentado há 4 anos, moro numa chácara. Quando cheguei aqui, logo que aposentei, também queria frutas orgânicas! Cultivo um pomar de 200 goiabeiras e no primeiro ano usei os tais saquinhos! "Que saco!" Agora "me bandiei pro lado dos pulverisadores." Ano passado já tivemos uma safrinha; veja meu post "hoje tem goiabada!"

Marco disse...

Rá! Rá! Rá!... Mas, vem cá, amigo JF... Será que os saquinhos não estavam bichados? Oo os bichos já tinham entrado nas frutas ANTES de você por a camisinha nelas?
Mas, de qualquer forma, louvo a sua persistência.
Vou lá ler a Luciana e o Ed. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Paulinha disse...

Hauhauhauahuah
Eu já tava pensando "mas que exemplo de dedicação!", tava já deixando de lado minha antipatia com aquela frase que pegou mesmo "sou brasileiro e não desisto nunca". Qdo chegou no grampeador, pronto, eu quase tenho um treco aqui de tanto rir!!
Diz o ditado que dinheiro não traz felicidade, mas pelo menos diminui muito os estresses da vida! Então pra que complicar, não é? Adoro praticidade! hehe

Magui disse...

Essa foi boa.Vai ver o melhor é jogar remédio no tronco.
Espero que tenha feito a barba hoje!!!...

Tina disse...

Oi JF!

Eu A.M.O. jaboticaba! Jura que tem na sua casa? Assim não vale. As que a gente acha para comprar no supermercado são sempre pequenas e sem graça. Chato, né? Jaboticaba lembra minha infância...

beijos querido e bom domingo.

maith disse...

É claro amigo que comprar tudo pronto é bem mais facil, mas já pensou se todo mundo pensasse assim? De onde viriam os pessegos para a gente comprar?
Voce me fez lembrar de uma vez que tinhamos uma pequena chacara e minha filha adolescente inventou de criar galinhas. Simplesmente comprou os franguinhos e colocou em um cercado.
Como não tinhamos caseiro, ela e o namorado iriam todos os dias até lá dar comida e agua para os penosos.
Não deu nem para comprovar se eles teriam paciência para isso, pois na primeira vez já encontraram só a metade da sua criação. Vendo que não ia dar certo, colocaram os que restaram no porta malas do carro e quando chegaram em casa estavam todos mortos. Que judiação!
Acabo de colocar um novo texto no http://www.bisavo.blogger.com.br. Se quiser vá conferir o que me deixará muito honrada

Adenium - Rosa do Deserto disse...

Ai que saudade de tudo aí, do pomar, desses cactos, das tangerinas, das limas..... só não lembro dos pêssegos. Agora entendi porque não vi pêssego na chácara...rsrsrsrsrsrs
JF, dá uma olhada no meu blog e vê o que postei! Abração, Vera Coelho

Blog do Beagle disse...

kakakakaka kakakakaka kakakakaka não consigo parar de rir kakakak kakakaka kakakakak vc é ótimo!!!!!!!!! Adorei seus experiência com os pêssegos e com a solução criativa para te-los lindos e suculentos em casa. Adoro pêssegos e jabuticabas. Bjkª. Elza

Mimi disse...

mas você pode interferir sim! oras, cheio de coisas para eles comerem, vão se meter no ninho dos outros!

te apóio! e deixa a vassoura perto MESMO.

um grande abraço, J.F.

Sulinha Diniz disse...

Bom dia!!
ri muito com sua experiencia.
eu tenho apenas um pé de pessegueiro aqui em casa , ensaco eles todo ano ,realmente da trabalho.
Não precisa de grampeador, no mesmo local onde vendem os saquinhos tambem deve ter os araminhos, sabe aqueles arames brancos que amarram os sacos de pão de forma..molinhos e facil de enrolar e não machucam a planta.
Vc coloca o saquinho amassa a boca e enrola o arame no galho. facil e rapido.
eu faco um picote com tesoura numa das pontas, não faça buraco apenas faça um corte com a tesoura de 1 cm, apenas um corte, ela transpira, a agua da chuva escorre,e não entra bicho.
Ano passado colhi mais de 10 kg de pessego de apenas um pé e foi a segunda florada.
Boa sorte!!