quarta-feira, agosto 22, 2007

Eu não consigo entender "arte" sem compartilhamento.
O pintor e o escultor fazem suas pinturas e esculturas para expô-las a outras pessoas. O poeta escreve poemas para serem lidos por outras pessoas. O compositor compõe músicas para serem ouvidas por outras pessoas.

Beethoven, o gênio que compõs suas principais sinfonias já em estado de surdês, também media sua obra pela recepção que o público dava à mesma. Seus biógrafos contam que, quando da estréia de sua monumental nona sinfonia, ao terminar a apresentação, Beethoven, que fizera a regência da orquestra executante, começou a recolher suas partituras sem ouvir, atrás de si, o público que o aplaudia entusiasticamente. Foi preciso que os músicos da orquestra, também totalmente entusiamados com aquela que, até hoje, é considerada como uma das principais obras primas da humanidade, em todos os tempos, o virassem para que ele visse a reação do público, em pé, aplaudindo-o. E foi assim que o grande compositor, totalmente emocionado, compreendeu a grandeza do que acabara de apresentar.

Evidentemente, o Família Jacaré não é composto de gênios como Beethoven, Michelangelo, Shakespeare, Camões, Caruso, e outros tantos artistas geniais. Mas, fazemos a nossa "artezinha". Isso fazemos! E, como tal, gostamos de apresentá-la às pessoas. E, quando percebemos que estamos agradando, isso nos dá prazer e serve de incentivo para melhorarmos sempre.

Ontem, às duas da tarde (terça feira), fizemos nossa apresentação em um programa na Radio Pax, emissora que transmite via Internet e é mantida por uma entidade de cunho esotérico, aqui em São Paulo.

A primeira coisa que chama a atenção, no nosso grupo musical, é o fato de sermos seis pessoas de três gerações diferentes, de uma mesma família. A noção "família", para o brasileiro, é uma coisa muito forte, admirada, e que chama muito a atenção. Outra coisa que chama a atenção sobre o grupo é o fato de serem músicas brasileiras antigas, alegres, daquelas que remetem as pessoas a boas lembranças de seus passados. Finalmente, chama a atenção o fato de três gerações estarem se apresentando de forma totalmente descontraída, igual, sem preocupações de vedetismo de uns ou outros, cantando com muito prazer. Divertindo-se, mesmo. É uma alegre festa familiar.

Para a apresentação na Rádio Pax, fôramos convidados pelo Tato Fischer, para sermos entrevistados em seu programa semanal e para cantarmos três músicas de nosso repertório. A entrevista acabou se estendendo e foram apresentadas umas dez músicas. Com isso, a apresentação se estendeu por por uma hora e quinze minutos, tendo, inclusive, sob olhares aprovadores da sua apresentadora, avançado em quinze minutos do tempo do programa seguinte.

Coincidentemente (ou não!), o locutor Tato Fischer, que foi integrante do grupo musical "Secos e Molhados", um amigo muito querido, além de cantor, compositor, instrumentista, mágico, professor de canto, diretor musical, diretor teatral, e outras qualidades, é o nosso Diretor Artístico e fã entusiasmado.

O programa começou muito bem, com nossa música de abertura "Jacaré", do compositor gaucho Paixão Cortes. Em seguida, relatei a composição dos "vinte parentescos" que unem os componentes do grupo. O Tato, brincando, desafiou os ouvintes a advinharem qual era o número exato de componentes do grupo. Não demorou muito para chegar um e-mail com a primeira resposta: OITO! Mais que a resposta errada, o que chamou a atenção foi o nome do remetente, Antonio Prenholato, nosso amigo orquidófilo de Brasília. Ao percebermos que os amigos estavam atentos ao programa, o "astral" do grupo, que já estava alto, subiu para mil!

Certa vez, o Prenholato postou, na lista NESO, uma crônica de sua autoria com uma história de uma pescaria. Essa história, de um humor muito fino, nós a adaptamos e a incorporamos ao repertório do Família Jacaré, sob a forma de um "causo" representado por mim e pela neta Vanessa (o "cumpadi Antonho"). Não estava prevista a sua apresentação na Rádio, mesmo porque, como é "representação", muito de sua graça estaria perdida. Porém, até hoje o Prenholato só ouve falar da história e ainda não a assistiu. Não podíamos deixar passar a oportunidade. Assim, na hora, de improviso, apresentamos uma versão "para rádio", especialmente dedicada ao ouvinte Antonio Prenholato! hehehehehe!

E, dessa forma, improvisado e informal, o programa foi se desenrolando.

Para uma das músicas, bem ao estilo das antigas emissoras de rádio do interior - "Fulano dedica a música tal para ciclana" - nós apresentamos o "Rede de Varanda", de João Bá e Gereba, e a dedicamos à Maria Rita, nossa querida amiga do Rio de Janeiro. É que a música retrata um cenário do vale do Rio Paraiba fluminense, na região em que a Rita tem sua casa de campo. O detalhe da dedicatória foi notado pela querida amiga Ariane, também carioca e que "assistiu" o programa, e comentado por ela na lista NESO. Pena que a Rita, no momento da apresentação, estivesse "brigando" com o técnico do computador e tivesse ficado impossibilitada de ouvir. Rita, ainda apresentaremos essa música a você, "ao vivo".

Outro momento muito significativo para nós foi quando recebemos da técnica do programa a comunicação de que chegara um e-mail do nosso amigo Júlio Betti, daqui de São Paulo, inclusive tendo anexado uma foto de uma apresentação nossa em sua casa.

O Júlio, grande violonista, juntamente com sua esposa Doris e a filha Juliana, ambas cantoras com vozes muito bonitas, uma família muito linda, costumava promover em sua casa saraus musicais. Esses saraus, interrompidos por motivo de doença em família, deverão ser retomados em breve. Foi frequentando essas reuniões na casa do Júlio que nos sentimos incentivados a dar prosseguimento ao grupo musical Coral do Jacaré, surgido um ano antes e praticamente paralizado, após duas únicas apresentações, de duas músicas, numa sala de música via-Internet.

Assim podemos dizer que o Júlio, mais a Doris e a Juliana, são padrinhos do Família Jacaré, nosso nome atual. E foi gratificante saber que ele estava atento à nossa audição.

Aliás, por falar em padrinhos do grupo, nosso primeiro padrinho é nosso amigo de Brasília, o Bernardino Damião. Durante todo ano em que estivemos "em recesso", de nossa segunda audição, na Internet, ouvida pelo Damião, até o ressurgimento, na casa do Júlio, ele nos ficou cobrando "a volta" e a gravação do CD. Grande Damião! Obrigado, amigo! Você é um dos responsáveis, aliás o primeiro responsável incentivador, do grupo.

Outro momento importante e de emoção, durante o programa, foi a chegada do e-mail da Dulce Valverde, compositora com algumas letras musicadas pela Lu. A Dulce estava acompanhando o programa nos Estados Unidos e fez questão de nos felicitar durante a audição.

Sabemos que outros e-mails chegaram à produção do programa, durante nossa apresentação. Mas, somente estes três nos foram repassados. De qualquer forma, agradecemos a todos os que se manifestaram. E, logicamente, a todos os que ouviram, mesmo não tendo se manifestado. Sabemos que muitos amigos não puderam ouvir por estarem sem disponibilidade de equipamento, no momento da audição, ou por qualquer outro motivo. Mas, só de sabermos que, ouvindo ou só em pensamento, eles estavam conosco, para nós é uma satisfação muito grande.

E, assim, tivemos mais uma apresentação. Mais uma etapa! Outras já vem vindo por aí, já com várias audições programadas até o final do ano, nesse caminho que adotamos para levar alegria às pessoas, para ficarmos satisfeitos conosco mesmos, e para, dentro de nossas pequenas possibilidades, mantermos viva a memória de antigas músicas que fazem parte da cultura brasileira.

É assim que compartilhamos com vocês nossas cantorias, nossa forma, ainda que pequenina, de fazer arte. E também compartilhamos nossa amizade e amor.

Abração

JF
ou Zeca Jacaré
dependendo da lista (hehehehehehehe)
Mais notícias, diretamente no Blog:
www.blogdojf.blogspot.com

Postado, no dia 22/08/07, também nas listas NESO e TatoFischer

2 comentários:

Luciana Farias disse...

Pai, foi demais, não foi???

:-)))

beijocas...

bmdamiao disse...

E valeu a pena minha insistencia pra vcs gravarem o CD, agora tou aguardando o DVD acústico

Abraços
Damião