sexta-feira, março 28, 2008

GHOST - DO OUTRO LADO DA VIDA

Vocês viram o filme “Ghost - Do Outro Lado da Vida”? É um filme romântico, de 1990, com Demi Moore e Patrick Swayze, como a dupla romântica. Excelente filme, grande sucesso de bilheteria, ganhou dois “Oscar”.

Na trama, Sam (Patrick) é morto na frente de Molly (Demi). Porém, Sam ainda fica vagando e protegendo Molly, com a ajuda de uma médium trambiqueira, Oda Mae Brown (Whoopi Goldberg).

Bom, não é sobre o filme que quero falar, mas de uma cena que, entendo, é antológica.

Apesar de apaixonados, Sam não é muito de demonstrar seu amor, ao contrário de Molly, que sempre lhe fala sobre isso. A cena antológica é quando ele está lendo jornal e Molly, bem carinhosa, lhe diz que o ama. Sem distrair-se da leitura, ele apenas responde: “Idem!” Naturalmente, respostas como essas fazem com que ela chegue a duvidar do amor dele.

Realmente, esse fato é curioso, pois acontece com muitos homens. Enquanto namoram, vivem jurando seu amor à amada. Ao se casarem, cessam essas declarações.

Por que isso ocorre? Não sei explicar, mas nada tem a ver com término do amor. Os homens continuam amando, talvez até mais intensamente. Mas, esquecem-se de falar. Ou, de demonstrar.

Muitos até se explicam:

“Se eu começar a fazer declarações de amor a ela, ela vai achar que estou escondendo alguma coisa. Que estou tendo um caso!”

É verdade! Tem muita mulher que pensa assim. Reclama de falta de amor, se ele declara o amor. Por isso, muitos preferem se calar. Pelo menos não são obrigados a ouvir acusações sem fundamento.

Insisto, não sei porque os homens se comportam dessa forma. Não sei se é por se sentirem seguros: “Já estou casado, mesmo. Não preciso mais fazer declaração de amor.” Não sei se é porque elas se sentem carentes de palavras carinhosas em horas que eles estão com o pensamento no futebol, no jornal...

Mas, o fato de não falarem nada não significa que não amem. Simplesmente, o homem se sente seguro e não declara. Só isso! Nada mais!

E como ficam as mulheres, por natureza mais românticas que os homens e que gostam de ouvir juras de amor, mesmo depois de casadas há bastante tempo? É aí que deve entrar o bom senso. O que custa a um homem declarar amor a uma mulher, mesmo que estejam juntos dezenas de anos?

E, mulheres, por favor! Declaração de amor do marido não significa “culpa na consciência”. Declaração de amor de marido apenas significa que ele continua amando e que, romanticamente, quer que você saiba disso.

Eu custei bastante a perceber em mim esta falha autenticamente masculina. Aí, me corrigi. Às vezes, um simples bilhetinho amoroso, deixado em lugar estratégico, faz verdadeiros milagres. A Nina bem que gosta de encontrar esses bilhetes.

Certa vez, deixei um bilhetinho para a Nina sobre a pia do banheiro:

“Sei que não é a melhor forma de declarar meu amor. Mas, mesmo assim, saiba que “eu te amo muito!”

Sabem como ela reagiu? Quis jogar o piano na minha cabeça. Só porque eu deixei o recado escrito naquela cartucho de papelão que serve de miolo do papel higiênico! Pode uma coisas dessas?


O BLOG DO EDDIE WOOD




Gentes, vocês já viram cachorro intelingente? Pois é o Eddie Wood. Ou, simplesmente, o Ed. É inteligente demais! Na foto, ele, todo orgulhoso, na volta da Academia, mostrando o canudo de papelão que contém o seu "diploma".

O Ed, coincidentemente o meu "beagle", é tão inteligente que está com um blog bem ativo, onde conta suas aventuras e desventuras. Hoje, por exemplo, ele fala da Bilisca, uma "cã" que o está paquerando, perdidamente apaixonada. Vão lá dar uma olhadinha. O endereço do blog do Ed é: http://edbeagle.blogspot.com , ou: www.edbeagle.blogspot.com Ou então, "linkem" pela indicação, aí ao lado, dos blogs da família.

MAIS UM PRÊMIO

Fiquei sabendo que meu amigo Marco ("Antigas Ternuras" e "Playground dos Dinossauros" - links ao lado, em Blogs Amigos) me presenteou com mais um prêmio: o selo "Sensações Alucinógenas". Vou lá ver e depois conto para vocês. De qualquer forma, antecipadamente, obrigado, Marco!

_ _ _ _

Abração
JF

11 comentários:

Anônimo disse...

Nina querida apoio vc, isto é lá romantismo? tubo do papel higiênico?
Eu iria querer o bilhete com flores, provavelmente com orquídeas (colhidas no jardim mesmo né)
RIta

Nina disse...

Amor da minha vida!
Foi inusitado o "veículo" da declaração de amor. Mas até hoje eu a guardo com carinho.
Como é bom receber os seus bilhetes!
Uma vez, no supermercado, comecei a chorar e ninguém entendeu nada : é que ao pegar o talão de cheques para pagar a conta, você havia preenchido o primeiro cheque " vale um milhão de beijos". Este cheque também está guardado.
Todo o meu amor, idem , idem, idem
Nina

Luciana Farias disse...

Não sei qual dos dois é mais romãntico e mais fofo... :-)))

Beijocas!!!

Claudinha disse...

Hahahaha, ô JF que papelão (literalmente!), mas ô Nina, amor que é amor é pra toda hora, né não? Até no banheiro!
Você tem razão JF, o pessoal para de falar, de namorar. E a melhor coisa do mundo é curtir quem a gente ama...
Vou visitar o Ed, aliás, Lu já havia me levado até ele!
Beijos procês todos!

Blog do Beagle disse...

JF vc é demais! Realmente. o que tem demais a declaração de amor no rolinho do papel higiênico, né? Foi ali, no banheiro, durante minhas funções que descobri o quanto amo a Nina que vou escrever, j´[a, para não deixar passar .. kakakakakakaka kakakakakakakaka muito bom!!!!!!!!!!!! Vocês homens, são uma spiadas, isso sim! Lindo seu eagle. Vou lá no blog dele, viu? Bjjkª. Elza

Marco disse...

Tá vendo? É como diz o selo que eu te dei: "Este blog provoca sensações alucinógenas". Seu texto sobre declarações de amor entre casados é perfeito! Eu nunca fui casado. mas namoro uma criatura há mais de dez anos e procuro sempre ser amoroso e carinhoso com ela.
Você e a Nina são belos exemplos para a Luciana e para as meninas. E pro Vagner também, é claro!
Muito bom te ler. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Magui disse...

O filme é muito bom e já o vi várias vezes .
Este cãozinho está muito gordo!
Depois que um beagle mordeu minha mini pincher e ela ainda não se recuperou do trauma não acho mais graça neste cachorro.São inteligentes mesmo.Só faltam falar.

Anônimo disse...

Ri muito lendo seu texto embora a vontade maior fosse de chorar pois há cinco anos meu marido não está mais a meu lado. Eu acho que não importa se a declaração de amor foi escrita no papel higiênico ou em nm patético papel decorado com coraçõezinhos ou se mesmo essa declaração ficou sufocada em seu peito sem que ele tivesse jeito de exteriorizar. O que importa é que o amor tenha sobrevivido aos multiplos impasses da vida tornando-se a cada dia mais puro e mais autêntico.
Uma boa semana com muitos bilhetinhos.
Maith

Luma disse...

Alguns casais se retraem com os anos de casados - passam para a etapa da sublimação, mas não é seu caso J.F. - você é muito pé no chão, até demais!! Rolo de papel higiênico? Eta consciência ecologica!! Aproveita-se tudo!!
Tive um Beagle, que comeu tudo em casa! Até a parede. Uma lindeza cheia de energia. Agora estou com um Golden, também brincalhão. Se morássemos perto, poderiam ser amigos!
Bom fim de semana! Beijus

f.d.p. disse...

mt legal o blog
passarei aqui sempre
vamos nos linkar? :}

Esyath disse...

JF

essa metáfora do piano já foi utilizada por mim... dia desses... sabe que gosto dessa frase? Porque a verdade é que uma pianada na cabeça pode muito bem fazer o cabra recuperar o juizo... - rs.
Eu podia jurar que já tinha comentado aqui... que coisa... e que demora sua pra postar novamente... - rs.
A questão amigo, é que com o tempo parece que começamos a esquecer da importância da simplicidade... das sutilezas mínimas... e com a convivência, os homens sempre têm a impressão de que palavras não precisam ser ditas, pois as verdades já são implícitas... Mas certas verdades... se não forem repetidas... podem acabar... esquecidas.

Beijos (Des)conexos!